sexta-feira, 28 de maio de 2010

1 mês

Nem parece mas hoje está fazendo 1 mês que estes fofinhos chegaram por aqui.

A Paulinha já demonstra gostar bem de uma pose para a foto. Já o Otávio quer mais é um cochilo...hehehe...




Paulinha - 2300 g , 46 cm

Otávio - 2700 g , 47,5 cm

Tudo isto de pura fofura!!!!!!

terça-feira, 25 de maio de 2010

A primeira vacina

A vacina BCG protege a criança do Bacilo Calmette-Guérin, que pode causar graves casos de tuberculose. É administrada uma dose única em crianças com peso superior a 2quilos antes mesmo de saírem da maternidade.

Como a Paulinha saiu com 1800g a vacina não foi administrada nem a ela nem a Otávio, que já poderia receber já que ele tinha 2120g. Mas já imaginaram eu com 2 calendários de vacina para cumprir? Impraticável, ?

Então, na última sexta-feira, dia 21 de maio, na primeira consulta ao pediatra constatamos que Paulinha já estava com exatos 2 quilos. Primeira providência foi levá-los ao posto de saúde para receber a BCG e a vacina contra hepatite B

A vacina BCG é aplicada por meio de uma injeção, que forma uma pequena cicatriz no braço direito algumas semanas depois. Aquela marquinha charmosa que todo mundo tem...

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 99% dos bebês brasileiros recebem a BCG desde 1995. Cobertura quase total. Muito bom!

E lá fomos nós.

Posto de saúde lotado: vacinação de adultos, jovens e crianças contra a H1N1. Ainda bem que bebezinhos são prioridade!

Primeiro o Otávio: ele tava dormindo, aí agulhadinha prá lá, chororô prá cá!

Agora a vez da Paulinha: ela também estava dormindo. A enfermeira apertou o bracinho, deu a agulhadinha e ela nem te ligo!

Mulher, gente...se acostumando com as dores da vida desde já, meu Deus!!!!!

Bem, era prá eles tomarem também a primeira dose da vacina contra Hepatite B, mas não tinha a agulha específica para a tal vacina.

Sem comentários, ?



quinta-feira, 20 de maio de 2010

Primeiro banho de balde

A Paulinha ficou meio na dúvida se gostou ou não...ela reclamou um pouco...mas sei não, acho que esta garota não é muito fã de banho...hehehe




O Otávio não deu um pio sequer...relaxou e aproveitou!


terça-feira, 18 de maio de 2010

domingo, 16 de maio de 2010

Apresentando: Paula e Otávio!

Até que enfim, apresento a vocês: Paula e Otávio!















Após 18 dias de cuidados no Neocenter, enfim trouxemos estas fofuras para o nosso lar.
Pegar os dois no colo ao mesmo tempo, abraçar, cheirar, beijar, afagar...sem aquele monte de fios por perto, não tem preço!
Mas foram dias importantes. Os bebês tiveram os cuidados impecáveis de toda a equipe do Neocenter, onde puderam ser monitorados 24h por dia em todos os sentidos. Pegaram um peso, fizeram fototerapia para a leve icterícia, tiveram o coto umbilical (meda!) curado. E eu, apesar de ter ficado para lá e para cá, meio desorientada, pude aproveitar para me recuperar do parto cesariana, além de ter a oportunidade de fazer um "curso semi-intensivo" de cuidados com o bebê. Aproveitei para aprender como amamentar, como dar a mamadeira, como dar banho, trocar fraldas, limpar dobrinhas, etc...
Agora, a parte mais importante de tudo foi ter a certeza de quanto somos felizes por nossos bebês terem nascidos pouco prematuros, afinal minha pequena pessoa conseguiu levar uma gravidez gemelar saudavelmente at;e quase na idade ideal. Nossos bebês nasceram prematuros sim, mas completamente saudáveis para a idade gestacional deles.
Foi frequentando o Neocenter, conhecendo a história de outros bebês e de outras mãezinhas, é que tive a certeza que somos uma família de muita sorte e só temos a agradecer por todas as bênçãos recebidas. Nossos 18 dias de idas e vindas ao hospital e de separação dos bebês se tornam apenas um detalhe de nossa história diante da verdadeira saga de tantas daquelas pessoas.
Só temos o que agradecer e estamos muito contentes por estarmos todos juntos em casa, iniciando uma vida de novos tempos.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Uma vida, uma árvore




O programa "Uma Vida, Uma Árvore", é um projeto da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte que vigora desde janeiro de 2008.
Anualmente, nascem cerca de 36 mil crianças em BH, o que nos faz concluir que teremos uma cidade mais arborizada...

A iniciativa tem como objetivo plantar uma árvore para cada criança registrada na capital, nos parques e áreas verdes da cidade. Para que a idéia siga em frente, basta que os pais de recém nascidos preencham uma ficha de adesão à disposição nos cartórios de registro civil que participam do projeto. Depois ele recebe um número e um certificado. Após o plantio, a prefeitura envia aos pais ou responsáveis informações sobre onde está localizada a muda que recebeu o nome da criança.

É uma política da prefeitura que quer aumentar a quantidade de árvores na cidade, bem como inserir pais e filhos no trabalho de educação ambiental e sanitária da cidade.
É claro que incluimos Paulinha e Otávio no projeto!

Se para um homem ser completo ele precisa fazer um filho, plantar uma árvore e escrever um livro, no nosso caso só falta o livro.

Blog serve??????

quinta-feira, 13 de maio de 2010

A vida é um doce...

É assim que eu quero dar boas vindas aos meus pequenos!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Paulinha vai ficar metida!

Presente da Tia Carminha.





Mas vai ficar metida esta menina!!!!

terça-feira, 11 de maio de 2010

Presente!




Todo o carinho de Marco Antônio e Aline em forma de fraldinhas bordadas!


segunda-feira, 10 de maio de 2010

Simplesmente adorei!



Nada a ver com o meu blog...mas até achei que teve aí uma homenagem às mães...

A-D-O-R-E-I!!!!!!!

Dia das Mães

Ontem foi minha estreia no dia das mães. Apesar de ainda não estar sentindo na pele toda a totalidade de ser mãe. É uma sensação esquesita esta de sair da maternidade e os bebês ficarem para trás. Por mais que eu vá ao Neocenter e fique lá admirando meus babies, ainda assim me sinto meio visita.

Adorei que TODOS os meus irmãos me ligaram para me parabenizar ontem. Foi emocionante receber todas aquelas ligações. E ainda teve sobrinhos e amigos se lembrando de mim. Realmente foi um dia especial.

E hoje recebi este texto lindo da minha amiga Renata ( tinha que ser ela!!!) que diz tudo sobre o que é ser mãe. Ainda não experimentei tudo o que relata no texto, mas com certeza é só uma questão de tempo.


ANTES DE SER MÃE


"Antes de ser mãe, eu fazia e comia os alimentos ainda quentes.
Eu não tinha roupas manchadas,tinha calmas conversas ao telefone.
Antes de ser mãe, eu dormia o quanto eu queria, nunca me preocupava com a hora de ir para a cama.
Eu não me esquecia de escovar os cabelos e os dentes


Antes de ser mãe, eu limpava minha casa todo dia.
Eu não tropeçava em brinquedos e nem pensava em canções de ninar.
Antes de ser mãe, eu não me preocupava: se minhas plantas eram venenosas ou não.
Imunizações e vacinas então, eram coisas em que eu não pensava.


Antes de ser mãe, ninguém vomitou e nem fez xixi em mim,
Nem me beliscou sem nenhum cuidado, com dedinhos de unhas finas.
Antes de ser mãe, eu tinha controle sobre a minha mente,
Meus pensamentos, meu corpo e meus sentimentos, e dormia a noite toda.


Antes de ser mãe,eu nunca tive que segurar uma criança chorando,
para que médicos pudessem fazer testes ou aplicar injeções.
Eu nunca chorei olhando pequeninos olhos que choravam.
Nunca fiquei gloriosamente feliz com uma simples risadinha.
Nem fiquei sentada horas e horas olhando um bebê dormindo.


Antes de ser mãe, eu nunca segurei uma criança, só por não querer afastar meu corpo do dela.
Eu nunca senti meu coração se despedaçar, quando não pude estancar uma dor.
Nunca imaginei que uma coisinha tão pequenina, pudesse mudar tanto a minha vida e
que pudesse amar alguém tanto assim. E não sabia que eu adoraria ser mãe.


Antes de ser mãe, eu não conhecia a sensação, de ter meu coração fora do meu próprio corpo.
Não conhecia a felicidade de alimentar um bebê faminto.
Não conhecia esse laço que existe entre a mãe e a sua criança.
E não imaginava que algo tão pequenino, pudesse fazer-me sentir tão importante.


Antes de ser mãe, eu nunca me levantei à noite toda, cada 10 minutos, para me certificar de que tudo estava bem.
Nunca pude imaginar o calor, a alegria, o amor, a dor e a satisfação de ser uma mãe.
Eu não sabia que era capaz de ter sentimentos tão fortes.
Por tudo e, apesar de tudo, obrigada Deus, por eu ser agora um alguém tão frágil e tão forte ao mesmo tempo.
Obrigada meu Deus, por permitir-me ser Mãe!"



© Patricia Vaughan & Silvia Schmidt ©
Texto original : " Before I Was a Mother "
- Direitos Autorais Reservados -
©2001©

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Cruzeiro X Atlético-MG



Ontem o Galo foi campeão. Teve buzinaço na cidade até meia noite. Era a família atleticana extravasando todo o seu amor e sua felicidade ...

Eu falava que queria me casar com um atleticano porque atleticano é um bicho que, no meu modo de entender, tem tanto amor para dar, mas tem tanto amor para dar, que ia sobrar algum para mim. Ô bicho sofredor o tal do atleticano. Sofre, sofre, sofre, mas tá lá "garrado", cheio de fé, de esperança e de amor pelo time.

Acabei me casando com um torcedor ( sem muita convicção!) do Tupi de Juiz de Fora.

Quando eu era mais nova, Waltinho, meu irmão, tentou me fazer uma lavagem cerebral para eu ser atleticana. Não sei porque que não colou. Quando entrei na faculdade, vendo a briga entre atleticanos e cruzeirenses, eu tinha o costume de desarmar todo mundo quando eu falava que era americana. Aí era eu quem virava motivo de gozação...e eu achava muito engraçado aquilo tudo.
Mais tarde um pouco, quando eu tinha uma turma que gostava de assistir aos jogos do campeonato mineiro em barzinhos da cidade, eu irritava todo mundo quando eu comemorava todos os gols. Independente de que time fosse. E eu cantava o hino mais ou menos assim:

"Existe um grande clube na cidade, que mora dentro do meu coração. Clube Atlético Mineiro, Galo forte vingador!!!!"

Nunca apanhei...mas podia ter acontecido...hehehe...

Hoje em dia eu resolvi que torço pro Florestino Master. "Flô o quê????" Todo mundo pergunta...aí eu explico que é o time lá de Timóteo, que existe mesmo, tem até sede própria, e que deve jogar na décima quinta divisão... Não preciso dizer que continuo sendo alvo de gozação...mas a intenção é realmente esta!

Pois bem...meus pimpolhos, antes mesmo de nascerem, começaram a sofrer pressão sobre o uniforme que vão vestir...

Paulo Alexandre, Felipe e Henrique são atleticanos. O Fred é cruzeirense. Então, se depender da maioria dos irmãos, serão Galoooooooooo!!!!!!! Quem engorda esta torcida é o Tio Waltinho, Tia Marinês, Tio Zé Antônio e Neca.



Já os primos Marco Antônio, Túlio, Rinamara, Ana Luisa, Hartur, Tio Zé Lúcio ... são do Cruzeiro querido, jamais vencido!



Mas pelo visto, antes mesmo de escolherem o time do coração, a estréia será na torcida pela Copa do Mundo da África do Sul. Afinal, como não vai dar para sair de casa ainda, vamos ter que convidar a galera aqui para a nossa casa!

Bela estréia, hein?

domingo, 2 de maio de 2010

Nasceram!


Na madrugada da quarta-feira, dia 28 de abril de 2010, não foi muita surpresa quando constatei que a bolsa havia se rompido.

Alguma coisa me dizia que estava para acontecer a qualquer momento. Barriga grande demais, muita falta de ar, dificuldade para fazer TUDO...

Os bebês, em idade gestacional de 34/35 semanas seriam prematuros e uma maternidade com CTI neonatal era um pré-requisito para um parto mais tranquilo. Eis que a maternidade que eu e Paulo havíamos escolhido e até visitado estava LOTADA. Aí começou uma pequena saga. Onde tinha vaga para mim, não havia CTI; onde havia CTI, ou estava lotada ou não havia leito para mim. Cogitamos até a possibilidade de irmos para um hospital onde arcaríamos com as depesas particulares. Imagina!!!!

Coisas que acontecem no Brasil, mesmo com pessoas que pagam ( e caro!) por aquilo que deveriam ter de graça.

Somos cidadãos, que como outros milhões, dão duro para ganhar a vida, são sobrecarregados de impostos, pagam convênio caríssimo, e numa hora destas se sentem impotentes e se veem numa "sinuca de bico".

Imaginem quem de depende do SUS? De vez em quando vemos alguma coisa nos noticiários, mas acontece todo dia em todo lugar deste país.

Fica aqui minha indignação com o Sistema de Saúde brasileiro.

O meu médico teve papel fundamental. Enquanto juntava minhas coisas que já estavam praticamente prontas e o Paulo roía todas as unhas, ele ligava para todas as maternidades de BH, para chegarmos num denominador comum. Uma hora e quarenta minutos depois, resolvemos que iríamos para a maternidade onde havia 2 vagas no CTI neonatal e eu ficaria na espera de um leito.

Às 6:33 h nasceu a Paula com 41cm e 1.670g; um minuto depois veio o Otávio com 44cm e 1.890g. Eu não sabia quem chorava mais, se era a Paula, o Otávio ou eu!!!!

Os bebês foram direto para o Neocenter e eu me senti a mulher mais feliz do mundo! O Paulo esteve lá segurando a minha mão e dividindo toda a emoção do momento mais feliz de toda a minha vida!


Sejam bem vindos meus queridos Paula e Otávio!

Agora viajaremos juntos pela vida, neste mundo cheio de coisas para descobrir, viver, experimentar, aprender.