quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Feliz natal!

40 Natais

Oito e quarenta da noite.

"Quarenta", ela repete para si mesma.

Em suas contas, aquela é sua quadragésima noite de 24 de dezembro. Mas as lembranças parecem ainda mais intensas que o peso do tempo.

As madrugadas em que a menina não dormia. A ansiedade para acordar e ver o que Papai Noel finalmente teria aprontado. Não havia noite em que ela se sentisse tão especial. Nem o aniversário lhe trazia tanta alegria. Um ano inteiro de espera valia a mágica de acordar, descer para a sala e procurar pelo presente.

"Presente", ela repete para si mesma.

Papai Noel parecia amá-la de verdade. Tanto, que um dia trouxera exatamente o presente sonhado. "Como ele teve dinheiro pra comprar?", ela questionou. E o preço do presente lhe parecia a medida generosa do amor.

A casa em silêncio. O filho dormindo. Não há por que os ponteiros do relógio se mexerem. Seus olhos abertos não veem nada além das cenas que passam rápidas pelo pensamento.

Não tem ideia do que vai vestir. Lembra-se do antigo vestido de lastex vermelho, semelhante aos das irmãs, que fora o figurino de um almoço de Natal na casa da avó. Ao som das pessoas conversando conversas que não lhe diziam respeito, passou o almoço sonhando com o futuro, olhos fixos na mulher do lago — o enfeite que sempre esteve lá, em cima do armário antigo que guardava os doces. Hoje, o enfeite mora em sua casa. É dela a mulher do lago.

Notas novas de dinheiro. Que de contar faziam barulho. O cheiro inconfundível das cédulas de pouco valor, que todo ano saíam de um envelope com o seu nome. Era assim o outro Natal, na casa da bisavó.

A cada ano, a expectativa de ver a porta se abrir. Num deles, a avó abriu a porta e as duas se abraçaram sem dizer palavra. O som do choro disse tudo: num abraço único, a velha chorou a filha; a moça chorou a mãe. O milagre de um Natal bonito de tão preciosa falta.

Um Natal do pai viúvo. Carinhoso e inédito, sorrindo para o primeiro neto homem.
Mais um avanço no tempo e o Natal na barriga. Ela esperava o seu maior presente. O amor ali ao lado. A família nova em volta. Choro. Dessa vez, de alegria.

O primeiro Natal sem ele. O primeiro Natal do filho. O que fazer com a vontade de chorar? E como não sorrir? Presentes. Crianças brincando. Não há como se concentrar na dor diante do colorido de uma noite de Natal.

Nove e dez. Não vai dar tempo de trocar de roupa. E pegar o filho antes do auge do sono. Ela sabe que ao chegar e ver as pessoas ele vai chorar. Vai chorar muito. Mas ela quer abraçar as pessoas. Quer celebrar esse novo encontro diante do tempo. Quer mostrar as gracinhas do filho. Quer contar piadas. Quer acreditar no tempo.

"Tempo", ela pensa.

Um banho rápido. Um vestido fácil. Rímel. Batom. "Vou com as olheiras mesmo." Pega a bolsa. Pega a torta na geladeira. Pega a sacola do filho. Pega o filho. Chama o elevador. "Quantas mãos eu tenho mesmo?" Fecha a porta atrás de si, levando no colo o filho, a sacola, a torta, a bolsa. E todos os Natais também."

Este conto muito significativo, eu tirei daqui .


E quem escreveu foi a talentosíssima publicitária mineira Cris Guerra que anda fazendo muito sucesso com seus blogs.

O que eu mais gosto é o Para Francisco que ela escreve para o filho que não chegou a conhecer o pai. Uma triste, comovente, alegre, linda história de amor que já me emocionou muitas vezes. E que me inspira muito porque traz a certeza de que a dor (sempre involuntária!) é capaz de nos tornarmos pessoas melhores quando usamos o amor como elemento transformador.


Feliz Natal para todos!


sábado, 19 de dezembro de 2009

Canseiraaaaa!!!!

Vépera de Natal é inevitável gastar sola de sapato ( e o limite do cartão!) procurando nem que seja uma lembrancinha para as pessoas que amamos. O importante é não deixar passar em branco.

Ai, gente, mas convenhamos: tem que ter disposição e muita saúde para enfrentar TODOS os lugares lotados! Estacionar é um problema, transitar entre as pessoas é um problema, carregar sacolas é problema ao quadrado, ser prontamente atendido então é um luxo.

Canseiraaaaaa!!!!!!

Um escalda pés aí, por favor!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

16 semanas




"Os bebês estão mais ou menos do tamanho de uma pera (cerca de 11 centímetros da cabeça até o bumbum, pesando aproximadamente 90 gramas)".
É por isto que agora a gravidez ficou evidente aos olhos das outras pessoas.

"Nas próximas três semanas eles vão passar por um grande estirão, dobrando de peso e crescendo vários centímetros." isto que dizer que a minha barriga vai acompanhar na mesma proporção:)

"Tanto dentro como fora da barriga, bebês adoram brincar. Talvez eles provavelmente já tenham descoberto seu primeiro brinquedo -- o cordão umbilical --, que eles vão puxar e segurar para se divertir." Incrível, não?

"O sistema circulatório e o trato urinário estão em plenas condições de funcionamento, e os bebês inalam e exalam líquido amniótico pelos pulmões."

"O crescimento do útero pode provocar pontadas devido à expansão do abdome. Esse tipo de dor geralmente é temporária, mas saiba que o aumento do útero sobrecarregará suas costas. É importante cuidar da postura para como proteger a coluna e evitar a pressão e dores. "

Isto realmente é uma verdade: a única coisa que tem me incomodado ultimamente são dores nas laterais do corpo e nas costas. Vou esticando daqui e dali prá tentar aliviar...

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Escolhendo nomes...



Quando a gente ainda não está vivendo o momento prá valer, tudo mais é especulação. Eu nunca tive certeza quanto ao nome que daria a um filho ou filha. Acho muito interessante que muitas pessoas tenham esta convicção desde a adolescência, ou quando casam...


Peguei este livro aí para, talvez, me lembrar de nomes que eu gosto e que poderiam estar no meu esqueciemento. Fiz uma listinha de nomes femininos e masculinos, mas ainda não cheguei a nenhuma conclusão. Ai que difícil, gente!!!!


O mais interessante é que eu sempre fui uma pessoa de dar nome às coisas. Quando criança tive uma formiguinha de estimação chamada Aline e me lembro até do porquê: fazia sucesso uma música francesa na qual o cantor (que nem sei quem era) evocava a sua musa no refrão. Eu achei bonito e coloquei o nome na formiga. Não achem estranho isto porque crianças criadas soltas em quintal grande tem formiga de estimação, cigarra, besouro, joaninha e por aí vai...
Cachorro tive vários, quase todos vira-latas da melhor qualidade: teve o Valente, o Dick, Fred I, Fred II( é que eu gostava muito deste nome), uma dálmata linda chamada Diana, Fred III ...acho que tive mais, mas não me lembro agora. Tive gato também, mas sempre preferi os cachorros.
Quando nascia um bezerrinho(a) eu era logo solicitada para batizar o bicho. O que me vem na memória agora é o Estrelinha, um bezerrinho cor de chocolate com uma pinta na "testa".
Também tive mania de dar nome a coisas: meus carros sempre tiveram nome: teve o Canabrava, um gol a álcool que bebia que só ele; depois teve o Pablo, um corsinha duro na queda; Plínio, o Palio. O carro da vez é o Grafitte ( por causa da cor, claro!). Minha máquina de lavar se chama Sadica (looooonnnnga história de família!). Meu casaco favorito há alguns anos atrás era um moleton com desenho do Pernalonga que mesmo velhinho e completamente adolescente demorei para me desapegar: ele se chamava Omelete! A Dracena que ornamenta minha sala de jantar se chama Duda ( homenagem a um jogador de futebol chamado Du Dracena!).
Parece incoerente que uma pessoa com tanta disposição e imaginação para dar nome às coisas tenha tantas dúvidas na hora de escolher os nomes dos próprios filhos.
Mas pensando bem tem até lógica toda esta indecisão. Por que é de muita responsabilidade nomear um filho: será a sua primeira propriedade neste mundo e ele irá carregar esta propriedade durante toda a sua vida. O nome deve ser como música boa para os ouvidos de quem chama e , principalmente, daquele que é chamado.
Gostaria muito que meus filhos gostassem dos nomes que vamos escolher tanto quanto eu gosto do meu e de todos os apelidos carinhosos que já inventaram para mim:
Sílvia
Silvinha
Suvinha
Silvícola
Silvícolas
Silvita
Silvex
Silvete
Sil
E dos sobrinhos:
Tuvinha (uma emendada em Tia Silvinha)
Dé (nada a ver, mas Marcantônio, meu sobrinho mais velho, inventou quando bebê porque achou difícil todos os outros apelidos...hehehe...o mais incrível é que o bebê cresceu, tem hoje 32 anos , e continua me chamando de Dé, ele e outros sobrinhos que vieram depois...e eu adoro!!!!!).


Também tive uns outros apelidos:

Molinha ( por causa do cabelo de mola!)
Branquinha (quase Branca de Neve!!!!)
E o que mais gosto ( porque é só o Paulo que me chama assim!!!!):
Magrela
( coisa que não tá combinando muito com a minha pessoa ultimamente...hehehe...)


Mas, voltando ao assunto, que nome mesmo darei aos meus filhos????????

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Luzes de Natal

A cidade fica ainda mais bonita nesta época do ano e eu fico sempre igual criança descobrindo as luzes de Natal por aí. Adoro ver as casas enfeitadas, as lojas, as empresas. Infelizmente, nem sempre estou com minha máuina fotográfica em punho para ir registrando...

Mas tem aquelas que todo ano eu não deixo de admirar.

No último sábado, passando pela Praça da Liberdade (a ideia era só passar por lá mesmo!), não sei como encontrei uma vaga para estacionar e fui lá conferir a decoração. Havia uma pequena multidão de famílias com suas crianças, idosos, jovens e adolescentes admirando todas aquelas luzes. De encher os olhos!!!!!


Ontem eu estava de passagem pela Avenida Barbacena e foi inevitável a paradinha para umas fotos. A CEMIG sempre arrasa...mas a beleza natural destas árvores também ajuda bastante.



Muito lindo! Fico emocionada!!!!

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Presentes

O 1º presente das crianças foram estes sapatinhos fofos que a Tia Ana Paula deu. Vermelhinhos para dar sorte na saída da maternidade. Já está combinado!







Em segundo lugar veio o presente da Tia Régis e da Bela: este parzinho de Kit babinha. O ursinho é tão fofo que pode até ser sugestivo como tema do quartinho dos bebês. Quem sabe????

Confesso que fiquei super emocionada. E tem aquela: "quem meus filhos agrada, minha boca adoça" ...
Mas também teve presente para a mamãe:





Este livro foi presente de Adalton e Neca. Ainda não tive tempo de ler, mas dei uma folheada e tem um montão de receita boooooaaaaaa. Hummmm, delícia!!!!!!

E a fofa cidadã do mundo Dani Pacheco, encontrou um tempinho antes de voar para Londres, para me deixar um outro livro:

"Concepção, Gravidez & Nascimento" da Dra Miriam Stoppard, que é um verdadeiro guia da gravidez e do parto: a saúde pré-natal, a boa forma, a experiência de ser mãe, etc, etc, etc...Um livro lindo de capa dura e bem grosso. Vai dar para eu me "divertir" um bocado.

Delícia este negócio de ganhar presente!!!!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Falta de tempo

Pessoal,



Estou sumida, né? Mas não é por preguiça não, porque isto já ficou prá trás. Estou me sentindo ótima, com muita disposição e até me alimentando melhor. Amém!!!!



O que acontece é pura falta de tempo. Vocês sabem como é: dezembro passa voando e quando a gente percebe o bom velhinho já está descendo a chaminé...hehehe...



Estou com uma montanha de coisas prá fazer. Coloco tudo numa listinha e vou encaixando durante o meu dia. Acaba o dia e percebo que não fiz nem a metade.



Socorro!!!!!



Estou cheia de coisas prá postar por aqui. Vamos ver se consigo fazer isto durante esta semana.



Um grande abraço em cada um de vocês que me visita!!!!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Soprando velinhas




Eu A-D-O-R-O fazer aniversário!

Não que eu ame a idéia de ficar mais velha: Cabelos brancos, ruguinhas, a força da gravidade atuando...ai, ai. Mas também não me incomodo com isto e acho que a contagem dos anos trazem lá suas compensações.

Eu sempre acho que a minha idade de agora é a melhor de todas. Não queria que o tempo voltasse porque eu acho que vivi todas as minhas idades até hoje da maneira como deve ser.

Fui uma criança feliz, solta no quintal, subindo em árvore e comendo fruta no pé.
Fui uma adolescente cheia de conflitos e de questionamentos (normal, né?) e a sorte de não ter tido espinhas.
Fui uma jovenzinha cheia de sonhos na cabeça e muitos ideais daqueles para fazer a diferença neste mundo, outros para fazer a diferença só prá mim mesma.
Os anos se passando, os ideais se abrandando e os sonhos, bem, alguns deles tomando forma, outros abandonados por pura inadequação, e outros mais sendo transformados ou acrescentados.

O bonito de viver é isto: nada é para sempre e nada é garantido. A dinâmica da vida nos faz querer viver cada dia, cada ano, cada idade, para apreciarmos todas as experiências possíveis. E nos divertirmos com elas e aprendermos com elas e amadurecermos com elas.

Eu sempre faço deste dia um dia feliz.

É o MEU dia!!!! E estar grávida de meus primeiros filhos é ainda mais especial.

Meus 37 está trazendo a experiência da maternidade!!!!

Há felicidade maior?????

domingo, 6 de dezembro de 2009

Presente antecipado!



Marido ansioso não espera o resultado do ultrasom morfológico!!!!! Passa o carro adiante dos bois...hehehe...


Gente, vocês podem até pensar que é coisa de gente doida.

Eu também acho que é!

Mas já estou exibindo esta coisinha linda aí no meu pescoço. Lógico que a vendedora, da joalheria se comprometeu a trocar um dos bonequinhos caso sejam 2 meninas ou 2 meninos.


Tô orgulhosa e muito feliz por este presentão que maridão me deu antecipadamente de aniversário!!!!


Era tudo o que eu queria mesmo!!!!

sábado, 5 de dezembro de 2009

Sapatinhos

Quando eu estava tentando engravidar fiquei imaginando como iria dar a notícia de um possível exame positivo para o Paulo.

Sei que é bem manjado, mas imaginei o Paulo recebendo um buquê de girassóis lá no escritório juntamente com um par de sapatinhos. Então eu comprei os sapatinhos brancos mais baratos da lojinha da esquina e deixei esquecido lá no fundo da gaveta.

Mas como nem sempre o que a gente imagina acontece exatamente daquela forma...não pude mandar o buquê nem os sapatinhos porque o Paulo foi junto buscar o resultado do Beta. Daí os sapatinhos continuaram exatamente onde estavam: lá no fundo da gaveta.

Mas aí, 15 dias depois do resultado positivo descobrimos os GÊMEOS.

Fui correndo na mesma lojinha da esquina comprar outro parzinho de sapatos que é para um bebê não ficar com ciúmes do outro.

E não é que achei uns amarelinhos iguaizinhos aos brancos?


E, por incrível que pareça, é só isto que comprei até agora!!!!

É que estou planejando para comprar tudo com calma depois que souber o sexo das pessoinhas!

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

14 semanas de gravidez

Da cabeça até o bumbum os bebês medem cerca de 9 centímetros de comprimento e pesam em torno de 45 gramas cada um.







O corpo agora cresce mais rápido que a cabeça. Esta semana, a pele, fina como um papel de seda, cobre-se de lanugo (um pêlo finíssimo e macio que costuma desaparecer antes do nascimento). As sobrancelhas e o cabelo começam a surgir, mas o cabelo pode mudar de cor e de textura depois que o bebê nascer. Mas já vou avisando que se os bebês puxarem a mamãe, vão nascer careca mesmo!!!!!

Nesta fase, o feto consegue fazer os movimentos de agarrar, franzir as sobrancelhas, fazer caretas e ficar vesgo. Talvez saiba até chupar o dedo. Os pesquisadores acreditam que esses e outros movimentos correspondam ao desenvolvimento de impulsos no cérebro.

Já estava passando da hora de começar a registrar o crescimento do barrigão.

Então aí está :




Não consigo nem imaginar onde esta barriga vai parar...hehehe

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Uma mãe é, e isto basta





"Quando um bebê decide vir ao mundo, nasce com ele uma mamãe.

Uma mãe, é mãe desde o primeiro instante. Mesmo quando a vida ainda é um minúsculo ser implantado no ventre, a gente já é mãe do coração. Todo nosso pensamento, todo nosso cuidado se volta para esse serzinho que, tão minúsculo, já provoca emoções tão grandes.

A simples descoberta já nos traz um turbilhão de emoções inexplicáveis. A vida nunca mais vai ser a mesma. E nos perguntamos: "será que vou ser uma boa mãe?" "Será que vou saber cuidar do meu bebê?"

Mas uma mãe não nasce mãe e não aprende a ser em escolas. Uma mãe é, e isso basta. Mãe sente, mãe adivinha, mãe aprende sofrendo, mãe sofre aprendendo.

Benditas são as mulheres! Se elas suportam uma das maiores dores, sentem sem dúvida a maior das felicidades. Uma mulher grávida é sempre algo sublime, ela tem algo de anjo e santo, uma aura invisível que reflete e ilumina seu rosto. Ela carrega nela a vida, um pedacinho dela mesma que vai um dia ter vida própria e isso é maravilhoso e assustador ao mesmo tempo.

Deve ser por isso que nos tornamos tão emotivas e choramos tão facilmente. Deve ser essa a razão de querermos estar satisfeitas em todos os nossos desejos.

Que a gravidez não é uma doença é verdade. Mas que não digam que é normal e que a pessoa pode viver normalmente, pois isso não é verdade. Todo o equilíbrio físico, psicológico e emocional fica balançado. Há ainda hoje civilizações onde as mulheres grávidas são tratadas como seres especiais e divinos.

Mãe que está descobrindo as alegrias da maternidade agora, deixa eu te dizer uma coisa: se você tem medo de não saber o suficiente para ensinar ao seu bebê os caminhos da vida, saiba que é com ele que você vai aprender a trilhar muitos desses caminhos. Viva a sua gravidez em todos os seus instantes e não se preocupe se está fazendo ou se fará as coisas certas ou erradas. Seu coração vai te ditar, confie nele! Aproveite ao máximo cada segundo, pois cada momento é único e esse privilégio não é dado a todos."

Texto lindo que achei nas minhas "andanças" pela web.

Tudo a ver com o meu momento!!!!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Qual será o sexo?





Nesta primeira fase da gravidez, a curiosidade em torno do sexo dos bebês não é só nossa. Quase todo mundo pergunta se já sabemos.



Daí eu explico o que o médico me disse : com maior segurança só dá prá saber por volta de 18 semanas, ou seja, daqui a 5 semanas ainnnnda...



A ansiedade é grande e já tem muita gente palpitando. Dois meninos, casalzinho ou duas garotinhas: façam suas apostas!!!!


Juro que meu coração de mãe nem de longe suspeita do sexo destes anjinhos aí. Ou não quer suspeitar que é pra não se comprometer...hehehe


E o Paulo, com seu humor negro peculiar, não alivia nem os seus rebentos:

“Sexo só dá prá saber depois dos 14 anos!!!!!”

Ai, ai, ai, ai...

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

2ª consulta do pré-natal

Dei uma sumidinha porque a vida anda muito corrida.

E eu, no pouco tempo que tenho livre, quero mais é me esparramar no sofá..hehehe...






Ontem fomos à 2ª consulta do pré-natal e, graças a Deus estamos muito bem!
Já estamos com 13 semanas e 4 dias de gestação.


Fora a minha má vontade para comer, no geral estou me sentindo muito bem.
Vou explicar: é que olho prá comida e ela também me olha querendo dizer "vem que eu tô boa"...mas acabo prefirindo mesmo uma frutinha...
Uma sopinha encorpada com alguma carne anda caindo bem. Daí o médico falou que não tem problema algum.


Os exames que fiz no início do mês passado estão com os índices todos normais. A minha pressão está normalíssima. Colo do útero fechadinho. Resumindo: melhor impossível!!!!



Mas como é melhor prevenir, saí de lá com uma receitinha de um complexo polivitamínico e poliminerais: Vitamina A,D,E,C, B1,B2,B6,B12, ácido fólico, Ferro, Zinco e Cálcio.


Terminamos a consulta com aquela perguntinha que não quer se calar:

"Dr., quando vamos fazer o US para saber o sexo dos bebês?"

A resposta, para a minha decepção: "Com 18 semanas!!!!"

Isto quer dizer mais 5 semanas de ansiedade

Como disse Santo Agostinho: "Não há lugar para a sabedoria onde não há paciência."