segunda-feira, 7 de junho de 2010

A amnésia da maternidade

Seres humanos são movidos por hormônios. Tudo bem que mulheres muito mais que homens, e isto por si só, já explica a maioria das diferenças comportamentais entre Marte e Vênus. Mas isto já daria assunto para um blog inteiro.

No momento do parto sabemos que 2 hormônios se tornam a bola da vez: a ocitocina e a prolactina. E eu, tenho desconfiado que são estes hormônios os responsáveis pelo meu completo emburrecimento. Ou seria de todas as mulheres que se tornam mães?

O Paulo anda dizendo que os gêmeos têm sugado além do leite, meu cérebro junto. Estou quase concordando com ele...hehehe...O tico e o teco andam completamente desconectados.

Acontece que desde que nasceram meus filhotes eu não tenho tido muita vontade e disposição para fazer outra coisa senão dar de mamar, dar banho,trocar fraldas acalentar uma cabecinha...pensando bem minha vida está quase resumida a isto e, por incrível que pareça, nunca me senti tão inteira.

Quando saio de casa é sempre rapidinho para comprar suprimentos ou para a despensa da casa ou para as necessidades das crianças (fraldas, gente! Quando penso que não o pacote já acabou!!!!). E nunca foi tão bom ficar em casa.

Fez frio, procurei um agasalho de moleton das antigas e não achei. Não consigo saber se guardei no maleiro ou se fiz doação para alguém. O último CD do U2 que comprei anda sumido também. Não tenho a mínima ideia de onde possa estar e não estou me importando com isto. pedi a ajudante para comprar alface no sábado de manhã e ontem, numa visita rápida ao supermercado comprei de novo. Procurei a chave de uma gaveta óbvia daqui de casa e tive que evocar São Longuinho ( que é um santo que nunca falha, juro!)... e por aí vai...

Resumindo: a frase mais comum que se escuta da minha boca é "Não me lembro!"

Os hormônios da maternidade dão amnésia mesmo ou seria apenas impressão minha?

Desconfio que talvez isto seja mais uma nuance de sabedoria da mãe natureza.

Apaga-se da memória das mamães tudo o que ou não tem relevância para a sobrevivência dos filhotes ou tudo aquilo que pode ficar para depois.

2 comentários:

Liliane disse...

Olá minha amiga!!

Essa memória fraca não é privilégio seu, não!!!!
Fiquei assim por mais de um ano, após o nascimento da Juju. Esquecia onde guardava as minhas coisas, as da Júlia nunca. Cheguei ao ponto de ligar pra minha médica e perguntar se era normal. Ela disse que sim e me ensinou alguns exercícios: de repente, no meio do dia, paramos tudo e começamos a lembrar do que fizemos desde a manhã. Outro 'exercício': lembrar qual calcinha está usando!!!!
Me contou ainda que em um dos pós parto dela, para evitar esquecimentos, ela começou a usar uma agenda em casa para anotar coisas que considerava importante... o problema é que ela vivia esquecendo onde estava a agenda e acabava começando outra...

A Lu, minha irmã também apresentou estes sintomas....

Inventei outro método: quando guardava alguma coisa eu chamava o Wal e mostrava pra ele onde estava guardando. Só que o Wal não estava em casa o tempo todo....

Com o tempo isso passa....

Muitos beijos para os Babies, pra vc e pro Paulo.

Lili

Silvinha disse...

Ei, Lili!!!!

Como é bom sabermos que não estamos sozinhas neste mundo de meu Deus!

O problema aqui em casa é que Paulo não dá conta nem das coisas dele...hahaha. Se for prá depender dele, tô roubada!!!!

Estamos esperando uma visita de de vcs, hein?

Beijooooooo