sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Onde o nariz aponta!

DEUS MEU!!!!

Tentaram me avisar , mas é na prática que estou sentindo que crianças quando aprendem a andar ficam impossíveis!!!! Afff...

Otávio começou primeiro. Um belo dia ele se levantou do chão e foi. E continua indo aonde o nariz aponta!!!

E Paulinha vendo o irmão criar independência, deu um jeito de se aprumar e ir atrás. E foi comédia porque  no início ela levantava os bracinhos para tentar se equilibrar. Papai dizia que ela parecia ter copiado a coreografia de Triller do Michael Jackson, hehehe. Bem no início dos "treinos" a cambaleante Paulinha tropeçou em seus próprios passos e antes que eu, do lado dela pudesse ampará-la aconteceu o segundo acidente com a pequena ( o primeiro foi o dedinho espremido debaixo da porta, lembram?) : havia uma porta de correr de vidro com esquadrias de alumínio no meio do caminho e a testa da Paulinha acertou bem na quina da tal porta. O resultado foi um super "galo" instantâneo na testa, berros de dor e susto, uma mãe  emudecida de pesar e uma enorme interrogação nos olhos do Otávio! Coloquei gelo na mesma hora, não deixei a Paulinha dormir  e dentro de umas horas estava ela toda alegrinha novamente. Respirei aliviada pois não precisamos ir ao hospital, mas a marquinha na testa ficou para contar história.


O lado bom foi que o tombo não inibiu a Paulinha de se aventurar nos treinos de caminhada.

Agora corro o dia inteiro para 'catar' bebê aqui e ali o dia inteiro. Não podem ver uma porta aberta que querem entrar e depois fechar. Se tiver fechada, batem para abrir. Algumas gavetas eles alcançam e quando damos conta já estão esvaziando o seu conteúdo. No banheiro eles são um arraso: conseguem abrir as portas dos armários, desenrolam o papel higiênico, querem abrir a tampa do vaso e se vc não for mais rápida a mão já estão lá com a mão na privada! (aconteceu algumas vezes!). A cozinha é uma espécie de ímã gigante e, não raro, Otávio faz pirraça para não sair de lá. Pensando com o cérebro de uma pessoinha que está descobrindo o mundo, são muitos atrativos mesmo: todos aqueles armários baixos, cheinhos de panelas, bacias e potinhos, o fogão com todos aqueles botões, fruteira sempre cheia de coisas para pegar e morder, geladeira cheia de ímas coloridos... 


Flagrante no Otávio!

E, se não for coincidência, é certo que depois que começaram a andar ficaram muito, mas muito mais ativos. Eles parecem aqueles brinquedos que damos corda e só param de se mexer quando a corda acaba. No caso aqui de casa quando, enfim, se entregam ao sono, exaustos. 

Mas exausta fico eu! E quando marido pergunta porque estou cochilando tão cedo da noite não tenho nem ânimo de responder...





Um comentário:

isabele elebasi disse...

kkkkkkkkkk......
Esse pequeninhos promentem!
E...haja energia para correr atrás e dá conta para eles não colocarem "fogo" na casa. Rsrsrs.
Tô com muita saudade disso tudo.
Bjooocas, fiquem com Deus e os anjinhos da guarda da Paulinha e do Otávio guardando-os (principalmente nessa fase)
=***