segunda-feira, 23 de novembro de 2009

"Tequinologia" do abraço





O matuto mineiro falava tão calmamente, que parecia medir, analisar e meditar sobre cada palavra que dizia...


"- É... das invenção dos homi, a que mais tem sintido é o abraço.
O abraço num tem jeito di um só aproveitá!
Tudo quanto é gente, no abraço, participa uma beradinha....
Quandu ocê tá danado de sodade, o abraço de arguém ti alivia...
Quandu ocê tá cum muita reiva, vem um, te abraça e ocê fica até sem graça de continuá cum reiva...
Si ocê tá feliz e abraça arguém, esse arguém pega um poquim da sua alegria...
Si arguém tá duente, quandu ocê abraça ele, ele começa a miorá, i ocê miora junto tamém...

Muita gente importante e letrado já tentô dá um jeito de sabê purquê qui é, qui o abraço tem tanta tequilonogia, mas ninguém inda discubriu...

Mas, iêu sei!
Foi um ispirto bão de Deus qui mi contô...

Iêu vô contá procêis u qui foi quel mi falô:

O abraço é bão pur causa do Coração...
Quandu ocê abraça arguém, fais massarge no coração!...

I o coração do ôtro é massargiado tamém! Mas num é só isso, não...

Aqui tá a chave do maió segredo de tudo:

É qui, quandu nois abraça arguém, nóis fica cum dois coração no peito!..."



No meu caso, atualmente, quando abraço alguém, fico com QUATRO!!!!!

Um comentário:

elebasI disse...

Rsrsrsrsrs....dois coraçãozinhos que pulsão muuuito muuuito forte por sinal!!!BujSSS^^