terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Inchaço na gravidez

O calor está mesmo de lascar, não só em BH como também em muitas outras cidades do sudeste. Affff...

Com o peso da barriga a sensação de calor parece ainda maior. Hoje, voltando para casa vi um termômetro de rua que marcava 34º. Acho pouco provável que fosse mesmo verdadeiro esta marca, mas só de ver senti mais calor ainda.

Resultado: cansaço e pesitos inchados.



O inchaço durante a gravidez, principalmente nos membros inferiores, é muito comum. Normalmente, tudo começa com uma sensação de peso nas pernas. Depois, as sandálias ficam apertadas ou simplesmente não servem mais. Até os anéis e as pulseiras não entram nos dedos e braços. Isso acontece porque, durante a gravidez, existe um aumento na quantidade de sangue e líquidos no organismo em geral. O sistema circulatório sofre uma alteração e, quando não dá conta, gera o problema. O crescimento do útero, que acompanha o desenvolvimento do bebê e comprime os vasos da região pélvica, também prejudica a circulação.

A dificuldade é que, no verão, todo esse processo tende a ficar mais lento ainda e aumenta o inchaço.
O uso de meia elástica pode ajudar, mas são muito quentes para se usar no verão.

Normalmente, o inchaço aparece mais ao fim do dia, quando a mulher permaneceu muito tempo em pé ou sentada. A dica é elevar as pernas durante a noite. Coloque-as em cima de um banquinho levemente ou coloque um travesseiro embaixo do colchão para as pernas ficarem levemente erguidas. Isso ajuda no retorno do sangue e o sistema circulatório funciona melhor.

A mamãe deve ficar atenta se o inchaço for intenso, principalmente se afetar muito as mãos, braços e rosto, se o ganho de peso for grande, quando houver formigamento dos braços, limitação de movimentos dos dedos das mãos e dor na região da nuca.

Esses são sinais de problemas renais como diabetes gestacional ou pressão alta que podem aparecer isoladamente ou em conjunto. Essas alterações são perigosas para a mamãe e para o bebê.

Caso um médico não seja consultado e tomado os devidos cuidados, mãe e bebê correm risco de morte. A pressão alta pode levar a eclampsia (hipertensão e edema podendo ocorrer convulsão e coma).


Para evitar o problema, a grávida deve praticar atividade física regular em locais e horários mais frescos do dia, não ganhar peso exessivamente, aumentar a ingestão de proteínas na dieta e hidratar-se.

Certas frutas têm ação diurética e aliviam a retenção de líquidos. Recomenda-se, ainda, beber muita água [de 2 a 3 litros por dia], diminuir o sal na comida, evitar o calor e elevar as pernas por 15 minutos três vezes ao dia.

Uma maneira gostosa de garantir a ingestão das frutas diuréticas, como melancia, melão, abacaxi e carambola, é preparar uma salada de frutas bem refrescante usando um pouco de todas elas. A laranja pode ser espremida para formar a calda da salada. No verão, não tem sobremesa melhor.



Escalda-pés contra o inchaço:

Uma receita simples de escalda-pés: esquente água suficiente para encher uma bacia, coloque duas tampinhas de álcool e um punhado de sal grosso. Depois do escalda-pés, uma hidratação profunda também vai bem. Passe um creme específico para a área (menos entre os dedos) e coloque uma meia de algodão por meia hora. O resultado é um pé macio e cheiroso. Para quem quiser um cuidado completo, esfoliantes e desodorantes também são uma boa dica. Siga em frente!


Fonte:
guiadobebe.uol.com.br/gestantes
revistacrescer.globo.com/

Só para esclarecer: tenho feito o melhor que posso com relação à dieta e minha pressão está ótima. Já diminuí o sal da comida. o único problema são os exercícios físicos. Tantos anos de sedentarismo não mudam assim de repente, infelizmente.
Taí uma coisa que não quero que esses guris puxem nem da mamãe e nem do papai: preguiça de se exercitar.

Nenhum comentário: